Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Peregrina neste mundo

Sou peregrina na terra; não escondas de mim os teus mandamentos. Salmos 119:19

Peregrina neste mundo

Sou peregrina na terra; não escondas de mim os teus mandamentos. Salmos 119:19

Criando Filhos que o Mundo Odiará

Quando eu era garoto, o meu pai me perguntava-me: “_ O que é que você quer ser quando crescer?”

E eu respondia com franqueza (adoravelmente, sem dúvidas), “um pai”. Quando o meu implacável e realista pai me informou que ninguém me pagaria para ser pai, eu disse-lhe que ficaria feliz se me pagassem a mim.

 
Em 2011, o meu sonho de me tornar pai tornou-se realidade quando o meu filho, Óscar, nasceu. Desde esse dia, as minhas esperanças e os meus sonhos voltaram-se para o que o Óscar será quando crescer. É claro que eu gosto de o imaginar a crescer bonito, talentoso, piedoso e amável, mas não tenho como saber se realmente será assim. É quase certo que ele terá uma grande afinidade pela Texas A&M (Universidade de pesquisa co-educational pública localizada em College Station, Texas) e pelo Green Bay Packers (time de futebol americano com base em Green Bay, Wisconsin). Sem dúvida, ele terá uma cabeleira decepcionante, gostará de comer e suará mesmo quando estiver frio. Para a maioria das coisas, no entanto, vou ter que esperar para ver o que ele vai ser quando crescer.
 
Muitas vezes, eu sonho com o grande homem que ele pode ser e no quão amável ele será para os outros. Eu sonho que técnicos, professores e pastores o irão aprovar e até mesmo impressionar-se com ele. Imagino os seus colegas a ter uma  alta consideração por ele, a querem  estar perto dele o tempo todo. Eu imagino que a geração que o segue o irá admirar. Eu amo a ideia de que, enquanto ele se torna um homem, alcançará favor em tudo e com qualquer pessoa que ele entrar em contato. Alguns desses desejos são saudáveis, e alguns são orgulhosos.
 
Eu tenho um forte, e certamente não incomum, desejo de que o meu filho seja validado pelo amor das outras pessoas. Muitos pais querem que os seus filhos ou filhas sejam pessoas amadas, mas este desejo não é o que faz João 15.19 tão transformador e importante quando confronta a maneira como preparamos os nossos filhos para o futuro. Cristo diz aos seus discípulos:
 
 
“Se vocês pertencessem ao mundo, ele os amaria como se fossem dele. Todavia, vocês não são do mundo, mas eu os escolhi, tirando-os do mundo; por isso o mundo os odeia”.
 
E não é apenas em João 15.19. Há muitos textos nas Escrituras que descrevem a relação conflituosa que os seguidores de Deus terão com aqueles que não são crentes.
 
Ao ler isto, percebi que se Deus responder às minhas orações para que o meu filho se torne um seguidor de Cristo, as pessoas irão odiá-lo. Sem dúvida, as pessoas serão absolutamente repelidas por meu filho.
 
Se Deus graciosamente salvar o meu Óscar, as pessoas irão chamá-lhe fanático e homofóbico. Alguns irão ridicularizá-lo como um machista da mesma forma que desprezam as suas crenças “sexistas”. Ele será desprezado como um “mente fechada” por dizer que Jesus Cristo não é apenas Deus, mas o único Deus. Ele, provavelmente, vai conhecer uma garota que o vai insultar por sua masculinidade ou por o considerar antiquado por esperar um casamento sem ter tido sexo. Os seus colegas irão achar que ele é um puritano. Valentões irão chamá-lhe covarde. A sua integridade atrairá insultos como “caxias” (eu não sei o que isso significa).
 
Os professores acharão que o meu filho ignora os factos científicos sobre as nossas origens, incitando os seus colegas de classe a acharem que ele é um idiota. As pessoas vão dizer que ele foi desviado pelos seus pais para um caminho ultrapassado de moralidade mascarado por um relacionamento com Deus. Consultores financeiros irão achar que ele é irresponsavelmente generoso. Quando ele tomar uma decisão, haverão aqueles que não tolerarão a sua intolerância. Ele será julgado como julgador. Ele terá inimigos e eu pedirei que ele os ame, e mesmo por isso ele parecerá um tolo.
 
Se você é como eu e espera que seus filhos sejam seguidores devotos e completos de Cristo, então precisamos criar uma geração que está preparada para ser distintivamente diferente dos seus colegas. Em muitas formas, isto é o oposto da minha inclinação natural de como criar o meu filho. Criar filhos que estão prontos para serem odiados significa criar crianças que não têm vergonha de seu amor por Deus mesmo em meio ao ódio e à alienação. Independente dos insultos serem legítimos ou ingénuos, oro para que nossos filhos estejam prontos para se manterem firmes em meio a um mundo que os odeia.
 
- por Adam Griffin
Fonte: iPródigo
 

safe_image[4].jpg