Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Peregrina neste mundo

Sou peregrina na terra; não escondas de mim os teus mandamentos. Salmos 119:19

Peregrina neste mundo

Sou peregrina na terra; não escondas de mim os teus mandamentos. Salmos 119:19

O Resultado Desastroso do Pecado

Um dos textos mais actuais da Palavra de Deus e algumas verdades nele contidas:
 
 
«Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça. Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;»
 
 
— Não há desculpas para os homens não crerem no Criador! Todos nós nascemos com a imagem de Deus em nós e com a consciência de que existe um Deus. O ateísmo, o materialismo e a impiedade são decisões que a pessoa toma e, para assumir essas decisões e viver com se Deus não existisse, ela tem que suprimir [afogar] a luz de Deus no seu coração e na sua consciência. Portanto, a ira de Deus é justa. Ainda que muitos possam perguntar: «É justo que Deus fique irado connosco?»; «Será que os homens conhecem realmente Deus?»; «Existe mesmo esse conhecimento de Deus tão claro para que Ele possa cobrar e responsabilizar o homem pelo pecado?» A resposta é: Sim «Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou.».
 
 
 
«Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis.»
 
 
— O pior, é que a humanidade perdeu o senso de auto-avaliação. Considerando-se sábios, acharam que estavam a ser inteligentes ao abandonar Deus e pensaram que tinham achado as suas próprias respostas para os enigmas do ser humano ao criar as suas próprias teorias. Mas, como diz Paulo, na verdade eles estavam a tornar-se loucos. Um pessoa pode ser muito capaz intelectualmente, ter todos os mestrados, doutorados e licenciaturas do mundo, e ser louca, absolutamente louca. Rejeitaram o Deus Criador, Senhor dos céus e da terra, mas não conseguem ficar sem deuses. O ser humano é religioso por definição porque foi criado à imagem e semelhança de Deus e a sua natureza clama para se prostrar perante algum poder superior; não há como fugir disso. Se ele não adorar o Deus verdadeiro, ele cria um deus para adorar e sempre será encontrado perante o altar de algum deus. O ateísmo é uma religião, o agnosticismo é uma religião, todo o homem tem uma religião — não há escape. Essa religiosidade leva o homem à idolatria e é por isso que Paulo diz que eles: «mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis». 
 
 
«Por isso também Deus os entregou às concupiscências dos seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.»
 
 

— A humanidade rejeitou Deus e fez deuses para si, portanto, Deus abandonou-a aos seus deuses e aos seus desejos. Esta verdade é terrível. Vivemos debaixo da ira de Deus e sob a Sua justa retribuição. A situação do ser humano é muito pior do que ele imagina. Qualquer pretensão de mérito, justiça própria ou caminho de salvação que dependa do homem é pura ilusão.

Paulo diz que o coração do homem é cheio de concupiscências [desejos maus], de paixão e anseios por coisas proibidas que são contra a natureza de Deus. Todos nós nascemos com inclinação para o mal, não porque Deus nos criou assim, mas sim porque herdámos a natureza pecaminosa dos nossos primeiros pais — Adão e Eva — que embora tenham sido criados sem pecado, escolheram desobedecer a Deus e pecar. Quando olhamos para os bebés tão fofinhos, sem romantismos, percebemos desde muito cedo que eles são inclinados a desobedecer e, quando são contrariados, rebelam-se furiosamente. O nosso coração é inclinado ao mal desde a concepção. Os desejos que o nosso coração abriga controlam-nos, levando-nos a fazer escolhas e a decidir qual é o caminho que queremos seguir. Como o homem mudou a verdade de Deus em mentira, no seu estado natural, ele rejeita a revelação que Deus faz de Si mesmo quando Se revela à nossa consciência e na própria natureza como um Deus Santo, Justo, Verdadeiro e Todo-Poderoso que demanda a nossa obediência e a nossa submissão. Mas o nosso coração, que é cheio de concupiscências, não quer submeter-se a um Deus que nos vai condenar naquilo que mais nos agrada.

 
«Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro. E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;»
 
 
— Todos nós colhemos o que semeamos, aqui e na eternidade. O pecado é o causador de todo o mal que existe no mundo e que nos afecta a todos. Ainda que alguns pensem que Deus não se ira ou que Ele tem mais que fazer do que punir os pecados que cada um comete, um dia, Deus vai julgar o mundo e todos responderão perante Ele. Quando olho para o mundo ao meu redor, vejo claramente o sinal da ira de Deus sobre nós: leis morais a serem substituídas por leis imorais, o assassinato de bebés [aborto] a ser aprovado, os governantes e as autoridades cada vez mais corruptos, a sociedade cada vez mais imoral e sem amor, o terrorismo, guerras e rumores de guerra, fome, pestes...
Deus soltou o travão de mão e a Sua ira está a abater-se sobre a humanidade. O homem virou-Lhe as costas e Deus está a deixá-lo entregue a si mesmo. A humanidade caminha para o fim a passos largos. Ao longo da História, de Génesis a Apocalipse, essa sempre foi a maneira de Deus agir.
 
 
«Estando cheios de toda a iniquidade, fornicação, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade; sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães; néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia;»
 
 
— Estas palavras fazem-me lembrar a última recomendação dos ímpios que nos governam – que legalizam, promovem e incentivam pecados como os que foram descritos – e que incentivam os adolescentes a mudar de sexo e a processar os pais caso estes não concordem e não os apoiem no seu pecado. O castigo de Deus para a rebelião e para a idolatria é abandonar o homem à corrupção que há no seu próprio coração, entregando-o ao erro, levantando governantes corruptos, e entregando-os aos falsos profetas, aos falsos cultos e às falsas religiões. O resultado final, é desonrarem os seus corpos entre si da mesma forma que desonraram Deus. É neste quadro que vivemos.
 
 
«Os quais, conhecendo o juízo de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem.» — Romanos 1:18-32
 
— Não são só os que vivem na prática do pecado, e que não se arrependem, que são dignos de morte. Todos aqueles que aprovam o pecado, criando leis ou apoiando os que criam essas leis, são culpados e dignos de morte.
 
E, não estou a incentivar a violência porque só Deus é o justo juiz. É Ele que executa a pena, não nós. Portanto, enquanto é tempo:
 
«Arrependei-vos, e crede no evangelho.» — Marcos 1:15 
 
 
PS: Contém alguns excertos do meu novo livro
 

inc_img3.gif