Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Peregrina neste mundo

Sou peregrina na terra; não escondas de mim os teus mandamentos. Salmos 119:19

Peregrina neste mundo

Sou peregrina na terra; não escondas de mim os teus mandamentos. Salmos 119:19

Moti - A História de um Evangelho - 1ª parte

 

Era apenas da altura da mesa essa linda  criancinha hindu de olhos brilhantes, que vivia acarinhada pelos seus nove irmãos, constituindo só por si toda a alegria e encanto daquele lar em Amarkali na Índia, e já seus pais tinham planeado para ela um casamento rico, como é costume entre os hindus.

Moti, cujo nome significava pérola, era instruída pelos seus pais em certos rituais religiosos que se praticavam no rio, e ensinada a repetir certas compridas orações, que a sua pequenina inteligência certamente não compreendia e a sua boca nem podia pronunciar, a fim de conseguir alcançar prosperidade e uma salvação futura.

Algum tempo depois a pequenita apanhou uma febre; seguiram-se-lhe dores agudas que foram aumentando até que pouco a pouco ia perdendo o andar, e ficou paralítica das pernas e apenas podia arrastar-se com o auxílio de duas outras raparigas. Os anos foram passando para ela vagarosamente e em grande sofrimento. Já não podia fazer os ritos religiosos no rio, e só podia agora aspirar a um marido rico ganho pelo «mérito» de jejuar dois dias cada semana.

Aconteceu que um dia Moti, ajudada por duas pequena, lá foi a coxear até ao rio. Na rua estava um homem a vender livros, e como ele incitava o povo a comprá-los, elas ouviram-no distintamente dizer: «A História de Jesus Cristo» _ custa só uma paisa (5 réis).

Moti disse às suas companheiras_ «Vão ver o que aquele homem está a vender… eu quero ter uma daquelas histórias». Mas as suas amigas responderam: «Não, não, vamos embora. Aquilo é o livro dos cristãos, e eles são muito maus e destruidores da religião _ a sua casta é uma das mais vis. Bastava que tocasse no seu fato, ou mesmo que a sua sombra caísse sobre ti, para ficares contaminada.»

Contudo Moti não desistia do seu intento e desenrolando cuidadosamente o seu sari, uma espécie de xaile, e tirando uma paisa conseguiu atrair a atenção do vendedor, e comprou um dos preciosos livros, que rapidamente escondeu debaixo do braço. Naquela noite, sozinha num cantinho tranquilo da sua casa principiou a lê-lo. Foi lendo até que a história de Jesus começou a comovê-la. Que admirável Homem _ curava os doentes, expulsava os demónios, acalmava o mar agitado, dava vista aos cegos! Depois de ler a história da mulher que tinha sofrido durante doze anos, Moti poisou o livro. Lágrimas de esperança brilhavam nos seus olhos negros. «Oh! Se eu O pudesse encontrar eu havia de me arrastar atrás d’Ele como ela fez, e tocar na borda do Seu vestido e ficaria curada.» Por algum tempo Moti conservou-se sentada a pensar nos seus longos e tristes anos de sofrimento e como seria bom ver-se curada. Por fim com uma firme determinação foi procurar a mãe.

 

Leituras Cristãs, 1918

 

image012121224.jpg